Notícias

Voltar 16/setembro

Reflexões sobre a arte do lettering, da tipografia e da caligrafia

 Matheus Mendes e Silas Stabile são apaixonados por lettering, tipografia e caligrafia. Eles são sócios no Guasca Studio, especializado em projetos com foco nisso. Matheus fez um Máster em Tipografia e Desenho de letra na Universidade de Arte e Design de Barcelona (EINA), em 2015/2016. Nós os recebemos na Centro para a Palestra de Setembro, onde eles falaram conosco sobre a importância das letras e da tipografia na publicidade.

“A inspiração para o meu trabalho vem de qualquer lugar. Como diz Luca Barcellona um designer/caligrafo italiano de quem gosto bastante, uma ida ao supermercado é como ir a um museu para quem trabalha com tipografia. As letras fazem parte do nosso cotidiano, lemos e escrevemos alguma coisa todos os dias”, explicou o Matheus.

Na hora de escolher uma determinada tipografia para um projeto, é necessário muito mais do que questões estéticas. É preciso levar em consideração o contexto histórico da fonte, forma, finalidade, funcionalidade e adequação ao projeto são itens importantes. Para títulos, por exemplo, as fontes displays são as mais indicadas. Para textos longos, a serifa é um quesito importante e para os conteúdos mais curtos a tipografia adequada pode ser algo que torne a leitura mais fácil e leve.

“Tem uma história muito interessante neste sentido. Os romanos criaram as clássicas e imponentes letras trajanas. Utilizadas na Coluna de Trajano para noticiar suas conquistas em uma guerra. Anos mais tarde (digamos, bem mais tarde) foi criada uma fonte chamada Trajan Pro, seguindo como pura referência a letra caixa alta romana da coluna para sua criação. O filme ‘Sex and the City’ usa exatamente esta fonte no cartaz de divulgação da produção. É uma releitura possível de ser feita? É, mas talvez se quem fez o material tivesse conhecimento da história da fonte, teria optado por outra mais adequada já que são temas bem distintos”, nos contou o Matheus.

A caligrafia trabalha com a perfeição do traço único feito à mão. Neste tipo de escrita não dá para errar e por isso é tão difícil. Ela exige muita dedicação e apego aos menores detalhes. Porém, como explicou Matheus, os principais expoentes da caligrafia atualmente estão reinventando esta arte e reconstruindo os clássicos.

A opção por um lettering tem, em contrapartida, algumas vantagens como a liberdade da forma, poder trabalhar com o lado positivo da falta de padrão e até com as imperfeições do traço à mão, além de permitir muito experimentalismo até se chegar ao formato ideal.

“Dizemos que o lettering é um trabalho mais livre, pois podemos trabalhar com inúmeros estilos e materiais para chegar a um resultado ideal. Parece fácil, quando tudo está pronto, mas não tem jeito, criar um lettering requer muito trabalho e dedicação”, destacou Silas.

Alguns trabalhos da Guasca:

 

Dicas de vídeos:

A História da Tipografia


 

Helvetica: Documentário


 

 Kings Of Leon - Making of the "Beautiful War" Artwork


 

Stefan Sagmiester Type Experiments

 

Inspirações do Matheus:

Luca Barcelona:
Designer italiano que cria para a Nike e começou como um artista de rua com o grafite. Aqui o Instagram do Luca.

Caligrafuturism:
Caligrafo mais experimental com um trabalho de bastante personalidade. Aqui o site

Jessica Hische:
Jovem e talentosa designer americana. Seu trabalho é focado em lettering. Aqui o site da Jessica.

 

Sites preferidos do Matheus (clique nos nomes e visite):

Typeroom 

Lettering Time 

Tony Di Spigna 

Urimiro

Dica de livro do Matheus para quem curte a área:

Título: Things I Have Learned in My Life So Far
Autor: Stefan Sagmeister
Opinião do Matheus: "Este é um livro que, além de mostrar vários experimentos de Stefan Sagmeister, apresenta pensamentos sobre o que ele vem aprendendo em sua vida. Não é um livro só sobre design, é um livro sobre pessoas."